Tudo começou quando Dom Pedro de Almeida Portugal, o conde de Assumar, chegou à Vila de Santo Antonio de Guaratinguetá , naquele dia de 17 de outubro de 1717, um domingo. Ele havia assumido há pouco tempo o governo da Capitania de São Paulo e estava em viagem para as Minas Gerais, que naquela época fazia parte da Capitania por ele agora governada. Durante a estada do Conde de Assumar em Guaratinguetá, o Capitão-mor da Vila, Domingo Antunes Filho, no afã de agradar tão ilustre visitante, ordenou aos pescadores da localidade que colocassem suas canoas e suas redes nas águas do rio Paraíba, e destas retirassem a maior quantidade possível de peixes.
Entre os que foram incumbidos de trazerem pescados para Dom Pedro de Almeida Portugal e sua comitiva estava Domingos Martins Garcia, João Alves e Felipe Pedroso. Com suas canoas e redes eles iniciaram sua pescaria no Porto de José Corrêa Leite. Mas esta, a princípio, mostrou-se frustrante. Por mais que lançassem suas redes ou mudassem as canoas de lugar, nenhum peixe saia das águas.
A esperança já estava abandonando os três pescadores quando aproximaram suas canoas do Porto Itaguassú, distante seis quilômetros de onde iniciaram sua pescaria. Numa última tentativa atiraram suas redes na água. Ao tentarem retirá-las do fundo do rio, uma delas deu sinal que havia pego alguma coisa.
A esperança voltou e as redes saíram das águas.

Entretanto, ao invés do brilho prateado das escamas dos tão desejados peixes, o que os três viram foi a negritude do corpo de uma imagem que representava a Virgem Maria. O corpo estava ali, inerte e preso às malhas da rede. E a cabeça? Com o corpo da imagem colocado no fundo da canoa, novamente a rede foi lançada às águas. Retirada com muita calma e expectativa, trouxe em seu bojo a cabeça da imagem antes pescada. A surpresa tomou conta dos três pescadores. Depois, experimentaram e viram que a cabeça ajustava-se perfeitamente ao corpo, formando uma imagem da Imaculada Conceição.
A imagem havia aparecido nas águas do rio Paraíba.
Apareceu...aparecida...a imagem era da Imaculada Conceição... Foi o bastante para que o povo espalhasse a noticia que três pescadores encontraram nas águas do rio Paraíba uma imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida.
Durante quinze anos a imagem da Senhora Aparecida esteve em poder de Felipe Pedroso, que a entronizou em sua modesta casa. Mal sabia ele que aquela imagem negra, feita de terra cota queimada, iria transformar a vida de Vila de Santo Antonio de Guaratinguetá, provocaria o surgimento de uma cidade, seria coroada Padroeira do Brasil, atrairia para junto de si milhões e milhões de peregrinos e teria sua atual Basílica sagrada por um Papa. Felipe Pedroso, já em idade avançada, entregou a imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida a seu filho Atanásio. Este, que morava nas cercanias do Porto itaguassú, ergueu em sua casa um tosco altar de madeira, onde colocou a santa. Sua casa, localizada às margens da estrada, tornou-se ponto obrigatório de encontro dos que moravam nas redondezas, e que ali se reuniam a fim de rezar aos pés da imagem.
O tempo foi passando e o culto a virgem Aparecida foi aumentando gradativamente. Agora não eram apenas os moradores de Itaguassú que procuravam a casa de Atanásio para rezar junto a imagem. Os que passavam pela estrada paravam na humilde moradia e, diante da Virgem, agradeciam graças recebidas e faziam pedidos.
O filho do pescador, vendo crescer o culto à imagem, talvez tenha chegado à conclusão que ela não mais lhe pertencia. Fora encontrada por seu pai e seus dois companheiros, mas na realidade pertencia ao povo. Estava certo Atanásio Pedroso! Em 1748, apenas 31 anos após o encontro da imagem, missionários jesuítas anotaram em seu diário de viagem que "muitos chegam de lugares distantes, pedindo ajuda para suas necessidades". Estes eram integrantes de caravanas que passavam pela estrada, caminhando em busca de novos horizontes, de nova vida, de novas esperanças... E paravam na pequena capela erguida à beira do caminho, pois a casa de Atanásio tornara-se pequena para conter os devotos da Virgem Aparecida.
Começou aí o movimento de peregrinos em torno da imagem que apareceu nas águas do rio Paraíba, no momento em que três homens perdiam a esperança de poder cumprir a tarefa que lhes fora imposta pelo Capitão-mor da Vila de Santo Antônio de Guaratinguetá. E, com isso, os prodígios realizados pela Senhora Aparecida atravessaram as fronteiras da Capitania de São Paulo, alcançaram as Minas da Gerais e os sertões de Goiás e de Mato Grosso.
Tropeiros, sertanistas e mineradores, foram por certo, os primeiros divulgadores da devoção à Virgem Aparecida.

APRENDA A REZAR O TERÇO

Orações dos Católicos - Sinal da Cruz
Pelo sinal da Santa Cruz, livrai-nos Deus, nosso Senhor, dos nossos inimigos. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém. 

Vinde Espírito Santo
Vinde, Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor. Enviai o vosso Espírito e tudo será criado e renovareis a face da terra. OREMOS: Ó Deus que instruístes os corações dos vossos fiéis com a luz do Espírito Santo, fazei que apreciemos retamente todas as coisas segundo o mesmo Espírito e gozemos sempre da sua consolação. Por Cristo, Senhor nosso. Amém. 

Credo
Creio em Deus Pai, todo poderoso, Criador do céu e da terra, e em Jesus Cristo, seu único filho, Nosso Senhor; que foi concebido pelo poder do Espírito Santo, nasceu da Virgem Maria, padeceu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado; desceu à mansão dos mortos; ressuscitou ao terceiro dia; subiu aos céus, está sentado à direita de Deus Pai todo poderoso, donde há de vir a julgar os vivos e os mortos. Creio no Espírito Santo, na Santa Igreja Católica, na comunhão dos Santos, na remissão dos pecados, na ressurreição da carne, na vida eterna. Amém. 

Pai Nosso
Pai nosso que estais no céu, santificado seja o vosso Nome, venha a nós o vosso reino, seja feita a vossa vontade assim na terra como no céu. O pão nosso de cada dia nos dai hoje, perdoai-nos as nossas ofensas assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido e não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal. Amém. 

Ave Maria
Ave Maria, cheia de graça, o Senhor é convosco, bendita sois vós entre as mulheres e bendito é o fruto do vosso ventre, Jesus. Santa Maria Mãe de Deus, rogai por nós, os pecadores, agora e na hora de nossa morte. Amém. 

Glória
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo, como era no princípio agora e sempre. Amém 

Ó! Meu Jesus
Ó! meu Jesus, perdoai-nos e livrai-nos do fogo do inferno, levai as almas todas para o céu e socorrei principalmente as que mais precisarem. 

Salve Maria
Salve Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura, esperança nossa. Salve! A vós bradamos, os degredados filhos de Eva, a vós suspiramos gemendo e chorando neste vale de lágrimas, Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito é o Fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce sempre Virgem Maria. Rogai por nós Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo. Amém. 

Oração do Anjo da Guarda
Santo Anjo do Senhor, meu zeloso guardador; se a ti me confiou a piedade divina, sempre me rege, guarde-me, governe-me, ilumine-me. Amém! 

Contemplação dos Mistérios
Mistérios Gozosos ( segundas e quintas )
1º Mistério: Anunciação do Anjo Gabriel à Maria.
2º Mistério: Visita de Nossa Senhora à sua Prima Isabel.
3º Mistério: Nascimento de Jesus em Belém.
4º Mistério: Apresentação do Menino Jesus no Templo.
5º Mistério: A Perda e o Encontro do Menino Jesus.

Mistérios Dolorosos ( terças e sextas )
1º Mistério: Agonia mortal de Jesus no Horto das Oliveiras.
2º Mistério: Flagelação de Jesus atado à coluna.
3º Mistério: Coroação de espinhos em Jesus.
4º Mistério: Dolorosa subida do Calvário.
5º Mistério: Crucificação e Morte de Jesus.

Mistérios gloriosos ( quartas, sábados e domingos )
1º Mistério: Ressurreição de Jesus.
2º Mistério: Ascensão de Jesus Cristo ao Céu.
3º Mistério: Vinda do Espírito Santo sobre os Apóstolos.
4º Mistério: Assunção de Maria ao céu.
5º Mistério: Coroação de Maria, Rainha do céu e da terra.

Consagração à Nossa Senhora
Ó minha Senhora e minha mãe, eu me ofereço todo a vós e em prova da minha devoção para convosco, vos consagro neste dia meus olhos, meus ouvidos, minha boca, meu coração e inteiramente todo o meu ser, e porque assim sou vosso, ó incomparável mãe. Guardai-me e defendei-me, como coisa e propriedade vossa. Amém.

 

Todos os direitos reservados ao Clube Sertanejo (c) 2000 - Os direitos deste Site, Conteúdo, imagens  são de nossa propriedade não podendo ser copiado e nem editado sem prévio consentimento do autor Todos os desenhos e personagens são feitos em parceria com o desenhista  LUIS CARLOS SALGUEIRO não podendo ser reproduzidos nem copiados.

CD ONE Corporation do Brasil (c) 1995